Residente Ana Carolina Oliveira relata a experiência em estágio na Chapada Diamantina -Bahia

07:35:00





A residente Ana Carolina Xavier Claro de Oliveira da Clínica da Família Anthídio Dias da Silveira realizou seu eletivo em junho no Vale do Capão, no município de Palmeiras na Chapada Diamantina do Estado da Bahia. Abaixo o relato da experiência


Muito se tem falado sobre parto humanizado, mas pouco se ouve sobre medicina humanizada. Meu estagio na unidade de saúde Caeté Açu foi uma imersão conceitual, espiritual e prática nessa nova maneira de se fazer medicina. Meu objetivo era aprender sobre medicina natural e vivenciá-la na prática da zona rural através da condução do meu aprendizado por um dos grandes mestres do Neohipocratismo no Brasil, Áureo Augusto.

A unidade de saúde se localiza no Vale do capão, no município de Palmeiras na Chapada Diamantina do Estado da Bahia. A USF atende a uma população com cerca de 2500 habitantes cadastrados, porém esse número não é exato devido à grande migração populacional da região.

A unidade de saúde recebe estudantes da Universidade Federal da Bahia para estágio em saúde coletiva, e a troca com esses acadêmicos é enriquecedora tanto para eles quanto para unidade. O estágio contribui para que esses estudantes tenham contato com todas as práticas desenvolvidas, sendo assim experienciam o trabalho da farmácia, da consulta médica, consulta de enfermagem, administração e dos agentes de saúde.

Áureo Augusto é morador há mais de 30 anos na comunidade e há 10 anos trabalha como médico nesta unidade de saúde. É defensor e fornecedor da medicina naturopata. Atua de maneira brilhante e sensível ao associar Neohipocratismo,quando necessário, com a Alopatia. Sua medicina é bastante focada na hidroterapia e fitoterapia, com obrigatoriedade para orientações alimentares. Não tem formação em medicina de família e comunidade, mas em todas suas consultas e discursos reforça a importância da educação em saúde, do cuidado integral, conceito de longitudinalidade e importância na relação médico-pessoa (ou seja, pessoa-pessoa). 

Natalia é enfermeira e coordenadora do posto há sete anos e tem um grupo para gestantes, o Parir, que realiza partos domiciliares planejados (humanizado já está intrínseco ao significado de parto domiciliar, creio eu). Toda terça feira acontece encontro desse grupo onde recebem gestantes, puérperas, mães, mulheres, companheiros. Todos no objetivo de aprender e trocar idéias sobre maternidade, ventre, parto e todos os temas que se correlacionam com o conceito de gravidez.
Além deles, no posto atuam duas técnicas de enfermagem, um dentista, uma auxiliar de odontologia, uma auxiliar de administração e quatro agentes comunitárias de saúde. Todos provedores de saúde e fornecedores de acessibilidade. Há ainda a participação de profissionais voluntariados que promovem atividades integrativas com essa população.
As práticas integrativas disponíveis são: ginástica para idosos, ginástica para gestantes, consultas de Thetahealing, roda de terapia comunitária e dança-terapia.
A primeira impressão que me é apresentada sobre esse lugar é o conceito de comunidade. 

Aqui existem os nativos, os “neo nativos”, os turistas e os itinerantes. Todos compondo sua “subcomunidade” para formar a comunidade “Capão”. Na rotina de atendimento conseguimos notar as peculiaridades de cada individuo manifestando a qual “subcomunidade” pertencem. Eles se diferenciam na cultura, valores e, até mesmo, no tipo de terapia que buscam na unidade.
A medicina naturopata com foco para prevenção e hábitos alimentares saudáveis é bastante aceita pela população que na sua grande maioria cultivam em seus quintais ervas medicinal e horta para consumo próprio com ingestão reduzida de carne. Na própria unidade de saúde há um espaço com plantação de ervas medicinal para os usuários. Segundo Áureo, um médico que não faça orientações alimentares na sua consulta não é médico naturopata.

ATIVIDADES DESENVOLVIDAS  
Naturismo/Neohipocratismo (naturopatia ou naturologia)
Reconhece a saúde como expressão e resultado do equilíbrio do nosso ser, ou seja, reconhece a existência de uma energia vital, responsável pela organização de nosso ser. As práticas do naturismo, na pessoa doente, ativam a vitalidade para que o equilíbrio se restabeleça através da utilização das coisas da natureza (como a água, a argila, as plantas medicinais e os alimentos) para ativar o corpo restabelecendo a boa circulação. 
Hidroterapia: tratamento com o uso da água. A água é usada em compressas, faixas, internamente, vapor, abluções ou banhos. 
Geoterapia: tratamento através da argila. 
Fitoterapia: uso de plantas medicinais para fim de recuperação do equilíbrio orgânico, reduzindo o desconforto dos sintomas, diminuindo a presença de agentes infecciosos, estimulando a energia vital e o sistema imunológico. 
Iridologia:
Estudo do estado físico e, até mesmo, psíquico de um indivíduo através da analisa das alterações apresentadas pela íris dos olhos, ou seja, conhecer através da íris. 
De acordo com a textura orgânica ou a densidade da íris, podemos classificá-la em seis tipos, isso nos auxilia a entender a capacidade de defesa ou recuperação daquele organismo.

Thetahealing:
Terapia de cura através da energia. Busca o autoconhecimento a partir do aprendizado de se reconectar com sua essência visando à cura, o perdão, a realização. Reconhecem as alterações emocionais se manifestando fisicamente como doenças e distúrbios orgânicos, por isso estimulam a liberação de ressentimentos e tristezas antigas, culpas e medos para resgate de uma vida saudável. 

Parir: (www.parir.com.br):
Grupo multiprofissional em saúde, com participação de enfermeira obstétrica, psicóloga, doulas, técnica de enfermagem e médico parteiro. 
Tem o objetivo de empoderar a mulher quanto ao conhecimento do seu corpo e suas decisões, sensibilizando quanto ao parto natural e as manifestações da maternidade. Fornece rodas de conversa semanalmente para discussões e apoio das gestantes, puérperas e mulheres, com foco em temas como feminismo, corpo e mente, ser mãe, vínculo mãe-bebê, parto, aleitamento. Promove acompanhamento das gestantes em pré-natal, visitas domiciliares, parto domiciliar planejado e acompanhamento pós-parto. 

CONCLUSÃO
O estágio permite um crescimento para além do campo profissional. Reconhece a importância da poesia na vida como manifestação de nossa compaixão e empatia para com o outro. O contato com a beleza natural da região, a simplicidade da população e o prazer com que os profissionais acolhem é a forma mais bela de se promover saúde.
A descoberta de uma medicina integrativa e naturalista são maneiras de executar, principalmente, prevenção quaternária e cuidado integral, demonstrando grande relevância de sua aplicação na Atenção Primária.



 Equipe USF: técnica de enfermagem (Marilza), médico (Áureo), administrativa (Vanessa) e residente em MFC (Ana Carolina)


Equipe USF Caeté-Açú

Horta com plantas medicinais na unidade de saúde

VEJA TAMBÉM

0 comentários